Gestão de Estoque: Classificação do tipo de item. Pt1.

Fala Galera!

Hoje iremos falar de um assunto de grande importância para todas as empresas comerciais contribuintes do ICMS, que enviam informações no SPED Fiscal sobre o cadastro de produtos.

A grande maioria de vocês já deve saber que o cadastro de produtos, é fundamental para que você tenha uma emissão correta dos documentos fiscais e consequentemente um envio da escrituração fiscal em conformidade, principalmente naquilo que se refere à tua gestão fiscal de estoques.

Um dos assuntos mais importantes quando falamos de cadastro de produtos, encontramos no registro 0200 dentro da tabela de identificação do item, que se refere à classificação do tipo de item. Eu selecionei as seis principais classificações de tipos de item e irei dividir esse conteúdo em duas partes, para que a partir de agora, você se atente a isso no cadastro de produtos dos seus clientes.

Vocês irão perceber que muitas dessas classificações impactam fortemente nas indústrias, pois normalmente no comércio essa classificação é mais fácil. O comércio, normalmente, tem três classificações básicas, que são elas: Mercadorias para revenda, material de uso e consumo e ativo imobilizado. Porém quando vamos para o universo das indústrias isso se amplifica de maneira muito forte, pois a indústria tem uma série de outras possibilidades.

O primeiro deles é o tipo 00 referente à mercadoria para revenda que é bem fácil classificar, porque é o produto adquirido para comercialização. Ou seja, aquela mercadoria que eu comprei com o objetivo de revender, vai ser tipo 00 mercadoria para revenda. No entanto, quando entramos no tipo 01, esse referente à matéria-prima, o negócio já começa a ficar mais emocionante. Primeiro que classificação da matéria-prima ele diz o seguinte: É a mercadoria que componha física e/ou quimicamente, um produto em processo ou um produto acabado e que não seja oriunda do seu processo produtivo.

Eu ministro vários treinamentos sobre o Bloco K. E é algo bastante comum que as pessoas que estão do “chão de fábrica” das indústrias, presentes no dia-a-dia do setor de produção, chegarem para mim e diz assim “Professor, eu fabrico a minha matéria prima”. Porém se você fabrica a mercadoria que é usada no processo de produção, por essa classificação ela não é matéria-prima, pois a matéria-prima será aquela que você adquiriu para utilizar no processo produtivo, mas que não é oriunda do processo produtivo.

Você deve estar se perguntando, em como irá fazer essa classificação. Bem, para isso existem outras classificações, como, por exemplo, o tipo 003 que é do produto em processo, que é aquele produto oriundo do processo produtivo e preponderantemente consumido no processo produtivo. Vou dar um exemplo que utilizo muito em sala de aula, que é do sapato. Imagine uma indústria de calçados, ela compra a borracha e todos os materiais para fazer a sola do sapato. Bem, a sola do sapato é um processo produtivo que tem início, meio e fim. Quando eu finalizo essa sola de sapato, eu posso dizer que ela é um produto acabado? Não! Eu não posso. Porque apesar de eu ter finalizado o processo produtivo da sola, aquela mercadoria ainda será utilizada, predominantemente, no processo produtivo da fabricação do calçado.

Nesse caso fica fácil percebemos que a sola é um produto em processo e que o calçado, depois de finalizado, é um produto acabado e que a borracha ela pode ser uma matéria prima, porque ela foi adquirida, será consumida no processo produtivo e ela não foi oriunda do meu processo produtivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *